Alfama

Nosso segundo dia aqui em Lisboa foi reservado para visitar o bairro da Alfama, um bairro modesto nos arredores do castelo de São Jorge.  Como já citamos anteriormente, esse bairro já foi reservado aos ricos moradores de Lisboa, mas na idade média eles migraram para outras regiões com medo dos terremotos. Hoje em dia, o bairro com ruas estreitinhas, becos, vielas, escadarias e passeios, lembra bastante as ruas de Valparaíso, mas com uma cara de muito mais antigo e com cores mais austeras. Quase não há grafite como lá, em compensação, centenas de casa decoradas com azulejos na parte externa são bem comuns. Outra coisa marcante nesse bairro são as sacadas com muitos vasos de plantas e flores, muitas vezes de plástico, e as roupas penduradas sobre as janelas. Andamos o dia inteiro por entre as ruas desordenadas desse local, visitamos o Castelo de São Jorge (próximo post) e almoçamos num restaurantezinho brasileiro ao lado de uma família francesa e outra alemã.

Aqui em Lisboa há muitos, muitos, muitos smarts. Muito mais do que motos, por exemplo. Me chamou a atenção o tamanhico desse carro branco aí em cima, por isso pedi para o Caio fotografar comigo do lado, para se ter uma noção do tamanho do brinquedo. Mais tarde vi também uma caminhoneta menor ainda, mas não deu tempo de fotografar…

Nosso primeiro destino nesse dia foi a Feira da Ladra, segundo alguns guias (livros), é uma espécie de mercado de pulgas e umas poucas barracas que vendem artesanato. Nossa impressão foi de que era mais uma feira da Ladra mesmo, parecia um monte de objetos chutados sendo vendidos descaradamente. Tanto é que lá pelas tantas veio um cara tentar nos vender um iPhone (?), meio na surdina…

Mas existem algumas barracas com artesanato muito bonito, alguns idosos vendendo antiguidades, e uma barraca só com materiais elétricos (tipo Millium, hehe) que nos foi muito útil para comprar um adaptador de tomada.

A Feira se localiza nos arredores de uma linda igreja, a Santa Engrácia. A igreja é marcante pela sua grandiosidade e sua cúpula. A igreja original caiu em 1681, durante um temporal. Depois ela foi reconstruída, mas levaram 284 anos para concluirem-na. Daí surgiu a expressão “Obras de Santa Engrácia”. Ela é Panteão Nacional, e alí estão os Cenotáfios de heróis da história portuguesa, como Pedro Álvares Cabral e o túmulo de Amália Rodrigues, ícone do fado Portugues.

Para entrar na igreja é necessário pagar 3 euros, decidimos que só um de nós iria, e eu acabei entrando. O mais legal, além dos cenotáfios, é poder subir até a cúpula (o que me deu vertigem) e explorar o terraço que circunda a cúpula, que é gigantesco e tem uma vista linda.

Outra igreja próxima é a de São Vicente de Fora, que data de 1627. Ela contém os sarcófagos da família Bragança, a segunda família Real Portuguesa. Linda por fora, e com certeza linda por dentro também. Mas dessa vez resolvemos ficar do lado de fora.

Já deu pra perceber que esse bairro é repleto de igrejas famosas, né? Pois então, continuando, essa é a Igreja da Sé, famosa catedral lisboeta e uma das mais antigas. Sua construção data de 1150, por ordem de D. Afonso Henriques, primeiro Rei Português, e foi restaurada diversas vezes por conta de 3 terremotos que a atingiram ao longo dos séculos. A catedral é escura, o que impediu de fazermos boas fotos. Mas seu interior com arcos góticos é impressionante. Alí estão os restos mortais de alguns dos reis de Portugal, bem como o túmulo de São Vicente.

 Olhando essas fotos agora, me fez pensar que essa parte externa da Sé até parece ser feita de Cortiça, que por sinal, é um dos orgulhos nacionais, pois são eles os únicos produtores de cortiça no mundo. Diversas vitrines de lojas (que aqui se chamam montras) é possível ver objetos de recordação feitos de cortiça, cadernos, bolsas, carteiras, moedeiras, etc.

Nosso passeio pelo bairro da Alfama terminou com a visita a igreja de Santo Antônio. Localizada onde anteriormente se encontrava a casa onde nasceu e viveu Santo Antonio (esse mesmo, o casamenteiro). Há uma tradição dos jovens casais visitarem a igreja no dia do casamento e deixarem flores para o Santo, que se diz dar boa sorte aos recém-casados. Não encontramos flores para levar, mas fizemos nossa visita!
Espero que a boa sorte dê certo.

Pra fechar o dia, fomos a um Centro Comercial (Shopping), chamado Colombo, que fica exatamente em frente ao estádio do Benfica. Pra tristeza do Caio, era dia e hora do clássico local, o shopping estava lotado de torcedores esperando a hora de começar o jogo. O Caio ficou doidinho pra ir ver também. Na saída, demos uma espiada no estádio, dava pra ouvir bem alto o som da torcida vibrando com o jogo, e eu vi uma lágrima escorrer, hehehe

Noite regada a vinho verde típico de Portugal.

2 comentários sobre “Alfama

    • daisydalberto disse:

      Obrigada Carlos, por seu comentário e contribuição para enriquecer o post.
      Eu gostei muito do Sado, se pudesse, teria um. Aqui no Brasil, nunca o vi.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s