Au revoir Paris… goede nacht Amsterdam

No dia seguinte (27 de abril) saímos de Paris com destino a Amsterdam. Pra resumir bastaaaaaaaaaaaaante o assunto, esse dia era antevéspera do Queen’s Day, o maior feriado Holandês, cuja maior comemoração é em Amsterdam – e não sabíamos disso quando planejamos o roteiro -. Junte-se a isso o fato das cinzas do vulcão ainda estarem sobre a Europa e com isso, caos aéreo. Resultado: sem vôo, trens lotados ou fora das datas que previmos passar na Holanda, e a preços absurdamente caros. Logicamente não decidimos como iríamos naquele dia exato, já estávamos correndo atrás disso desde quando pisamos em Paris. Chegamos a cogitar mudar os planos e ir para a EuroDisney ao invés de ir para Amsterdam. Mas graças a Deus deu certo e conseguimos ir para Amsterdam no dia exato que planejamos, e foi uma das nossas cidades favoritas. Só que fomos de ônibus:/

Whatever, ir de ônibus na Europa tem lá suas desvantagens… o ônibus não é confortável, equivalentes aos nossos ônibus intermunicipais de curta distância – ou seja, joelho colado no banco da frente – os motoristas não usam uniformes e mal falam inglês, eles também CORREM muito, e freiam! O ônibus foi lotado, tivemos que sentar naquele banco do fundo, bem no meio, 1 pessoa do meu lado e mais 2 do lado do Caio. Só aliviou depois que paramos em Bruxelas. E olha, a viagem de-mo-rou… foram cerca de 8 horas de viagem.

O que compensou foram as paisagens! Lindas! Além de passarmos por dentro de Bruxelas, na Bélgica, e em cidades holandesas como Eindhoven, pela qual ficamos encantados.

Algumas horas depois, com os pés inchados e ouvindo um casalzinho de adolescentes brasileiros literalmente baterem boca para decidir quem iria lavar a louça e dobrar o edredon se caso eles dividissem o apartamento, chegamos a cidade mais alternativa de nosso circuito. Como eu disse, nosso motorista não falava inglês, só francês ou holandês. Sabe como tivemos certeza? Pelas bicicletas!

Por sorte, começa a anoitecer depois das 21 horas… Então deu tempo de dar uma circulada pela cidade, pela Dam Square, a Central Station e o Red Light District.

Nossa primeira impressão foi realmente ótima. O clima da cidade é muito alto astral, muito agito, muita simpatia. Mesmo dos funcionários do metrô e dos recepcionistas do Hostel. A noite, Amsterdam é muito linda e charmosa com aqueles canais atravessando a cidade. O Red Light District vale uma visita. Não há nada de promíscuo no lugar, é como uma galeria de mulheres em vitrines. Interessantíssimo o contraste entre prostituição e cisnes nadando no canal. Tinha até uma excurssão da terceira idade visitando o local. É, no mínimo, divertido.

Ali começa o Red Light District

Não há mais fotos do Red Light District pois é proibido tirar fotos lá.

Para fechar a noite, jantamos num autêntico restaurante Argentino, para matar a saudade de comer um suculento pedaço de carne.

Estava uma noite fresca e agradável. Ficamos felizes por chegar em Amsterdam.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s