Ferryboat

Nosso mini cruzeiro na Europa

{12 de abril de 2012}

No nosso planejamento de viagem, chegamos a conclusão que seria mais rápido e inteligente descer de Londres para a Normandia através do Canal da Mancha indo direto para a Normandia. Ao contrário da nossa ideia inicial, que era ir até Paris pelo Eurotúnel e de lá alugar um carro para ir até Mont Saint-Michel, para depois voltar, visitando várias cidadezinhas pelo caminho, inclusive as praias do Dia D. Meu marido descobriu genialmente um ferryboat que fazia o trajeto Portsmouth (RU) – St Malo, na Bretanha (FR). E a viagem seria noturna, com duração de 12 horas (uau!). Topamos a aventura e reservamos as passagens.

Saímos de Londres no dia 12 de abril com destino a Portsmouth, uma cidade portuária com localização estratégica (inclusive militar) no sul do Reino Unido. – De lá partiram algumas tropas aliadas canadenses no Dia D. A viagem de trem até a cidade nos revelou algumas surpresas pelo caminho (para os que ficaram acordados), como castelos medievais fantásticos, coelhos margeando a ferrovia, criação de pôneis e até um cervo selvagem (morri!). Portsmouth pareceu muito bonita, mas infelizmente estava chovendo muito, o que dificultou qualquer passeio pela cidade. Vimos depois, do navio, algumas caravelas históricas originais e incríveis, que nos arrependemos por não ter visto. Fomos direto ao terminal portuário do Ferry e aí teve início uma sucessão de boas surpresas. A começar pelo próprio terminal, com sala de espera, balcão do check in, restaurante e instalações melhores que muitos aeroportos no Brasil. Tudo limpinho, clarinho, quentinho (pra variar, estava também muito frio).

Depois de algumas horas de espera – não que tenha atrasado, nós é que chegamos super cedo. – Esperávamos uma embarcação modesta e não muito diferente do que encontramos por aqui, na travessia da Vila da Glória, em São Francisco do Sul, por exemplo, ou a balsa Rio-Niterói, sei lá, e estávamos muito apreensivos de passar a noite ali. Pra falar a verdade, para mim, era a maior preocupação da viagem. Mas quando vimos o nível do ferry que atracou no porto, demos pulinhos de euforia (momento piração!).

Para se ter uma idéia, segundo o Google + Wikipedia + Travessia de São Luís (MA), – não fui eu que disse, pois nem o conheço – o maior ferry boat do Brasil mede 74,4m de comprimento, tem lugar para 1.200 pessoas, sentadas e em pé e 100 veículos de passeio. Esse ferry franco-inglês, tem modestos 151 metros de comprimento, capacidade para 2.056 passageiros acomodados (sentados ou deitados) + a tripulação, de 130 pessoas, e 580 carros, ônibus e caminhões.

Após passar pelo raio X e pegar um microônibus que nos levou até a doca, subir com esteiras rolantes e adentrarmos ao navio, fomos encaminhados à nossa cabine, que estava equipada com calefação, 2 beliches, tomadas e banheiro com chuveiro (momento piração 2!). Saímos e resolvemos explorar o nosso navio (desculpem aí os que já fizeram cruzeiros, vocês devem estar achando isso um verdadeiro exagero, mas nós nuuuunca viajamos de navio antes, foi nossa primeira experiência, e foi uma grande surpresa, afinal, não esperávamos um navio desses!). O ferry tinha 9 andares, 2 restaurantes, 1 sala de jogos, 1 sala de jogos para crianças, 1 cassino, cinema, várias lojas, free shop, bares – 1 deles com mini shows, caixas eletrônicos, etc. Tinha cabines equipadas com camas e janela, como a nossa, cabines sem janela, além de salas enormes com poltronas reclináveis para aqueles passageiros que não queriam cabines (low cost), os quais contavam também com banheiros e chuveiros à sua disposição (momento piração 3!).

Fomos até os decks externos e aproveitamos um pouco do pôr do sol lindo que brindou o dia (momento piração 4!). Andamos em todos os lugares possíveis para os passageiros e, pontualmente, na hora marcada, nosso ferry começou a sair do porto. O vento gelado da noite e da velocidade do navio no canal não conseguiu nos fazer desistir de vislumbrar a maravilhosa vista da cidade de Portsmouth que tínhamos a frente. Foi um momento muito agradável e memorável para todos nós.

Procuramos um restaurante para jantar e encontramos um brasileiro que mora em Portugal e é motorista de caminhão entre a Inglaterra e a Espanha. Conversamos durante um longo tempo com ele e só então fomos jantar, num restaurante que ficava na proa. Eu e minha cunhada não nos abalamos, mas os homens não aguentaram o balanço e se sentiram enjoados, saindo o mais rápido possível de lá.

Antes de dormir, demos uma última passada no deck da popa, a cidade já estava fora de vista, e a escuridão tomava conta do horizonte. O vento estava mais gelado ainda. Pensei na minha vó nesse momento. E ao tentar me aproximar um pouco da beirada, olhando aquela água que devia estar incrivelmente gelada, pensei no Titanic (momento pânico!). Voltei pra cabine sozinha, deixando meu irmão e minha cunhada lá fora.

Quanto a dormir, por ironia, eu e Jali dormimos muito mal, por causa do balanço do navio. Enquanto Caio e Evandro dormiram como dois bebês no balanço do berço.

Com o amanhecer do dia, acordamos ao sons dos avisos de chegada ao destino: St. Malo, território Francês.

4 comentários sobre “Nosso mini cruzeiro na Europa

  1. Ana disse:

    Viajar com uma mochila nas costas é ótimo, mas vai dizer que não é o máximo quando a gente encontra algum conforto? Hahaha.. Ainda mais conforto atravessando o Canal da Mancha, vai dizer! Linda a descrição sobre a surpresa em encontrar um ferry tão grande, e ainda mais lindas as fotos. Tô curiosa para ver a escrita sobre o que aconteceu após ouvir os sons de avisos de chegada. Tô na espera, haha. Beijos!

    • daisydalberto disse:

      Aninha, realmente, ainda mais depois de 6 dias mega cansativos que passamos em Londres, esse foi aquele dia pra relaxar. E nossa sorte foi pegar esse ferry top level!! Foi super divertido e muito confortável. Claro que não é uma opção muito rápida de viagem, mas foi uma experiência única. Logo posto mais sobre nossas aventuras nas terras do Asterix. Mas antes vai rolar um post sobre aquela nossa atrapalhada no trem. Beijos querida.

  2. Jali disse:

    Que delicia ler isso… uma forma de reviver esses momentos inesquecíveis…
    foi mesmo dessa forma, cada vez que viamos mais do navio ficavamos mais euforicos…
    uma bela surpresa..
    aiiinn que saudadeeeessss desses momentos

    • daisydalberto disse:

      Cunha, a gente voltou a ser criança naquele dia né? Com um parque de diversões pra explorar. Foi muito divertido. Nem me fale em saudades… rs. Obrigadaaa.🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s