castelos pelo caminho

Viagem de trem para principiantes

{12 de abril de 2012}

Um fato engraçado ocorreu na nossa saída de Londres para Portsmouth, o trem que partiu de Londres tinha 2 destinos, um deles era o nosso. Como não havia marcação de poltrona nem de vagão, entramos no primeiro vagão que encontramos, pois nos sentimos levemente atrasados, já que lá as coisas são extremamente pontuais. Pegamos ótimos lugares, acomodamos a bagagem e começamos a fazer um lanchinho, enquanto o trem partia. Ninguém estava dando bola para os avisos sonoros e na telinha na frente do vagão. Até que o Caio resolveu prestar atenção. O aviso dizia que o trem iria se separar em determinada cidade, que os vagões 1 a 4 iriam para Portsmouth, enquanto os de 5 a 8 iriam para outro lugar. E onde estávamos? No vagão 8! Foi aquela correria para colocar tudo novamente dentro da mochila, pegar as diversas malas que tínhamos e sair andando pelo vagão estreito. Decidimos nos separar para facilitar a locomoção, já que estávamos com muitas malas. Jali e Evandro foram na frente, com as mochilas de mão e mais uma mala cada um, enquanto eu e Caio ficaríamos aguardando até a volta.

O trem parou na próxima estação, e sempre quando ele parte, ele já vai falando qual será a próxima parada. Aí aconteceu o pior: o Caio escutou que a próxima parada era aonde o trem se separava! Pânico! As paradas entre uma estação e outra estavam acontecendo muito rápido, e não fazíamos ideia de quanto tempo iria demorar para chegar a próxima estação. Não pensamos duas vezes, mesmo com todas as nossa bagagens, mais uma mala do Evandro, seguimos desesperados pelos vagões para tentar alcançar aquele que parecia o mais distante vagão de todos, o quarto, onde estaríamos “a salvo”.

Andávamos esbarrando nas pessoas (sem querer, óbvio!) e suando de aflição. A passagem era muito pequena, entre um banco e outro, nossas malas emperravam, e nada de o Evandro voltar para nos ajudar. Pensávamos que, pela demora, o quarto vagão devia estar realmente muito a frente. Com muita dificuldade, conseguimos atravessar o oitavo e o sétimo vagão, e a próxima parada foi anunciada, estávamos muito próximos. Finalmente o Evandro apareceu a nossa frente, e mesmo não estando a salvos, ficamos um pouco mais aliviados, pelo menos era uma ajuda a mais com as malas. Ele estava tranquilo, pois não tinha ouvido que a próxima parada era onde o trem se separava. Mas quando falamos pra ele, o desespero tomou conta, afinal, a esposa dele estava lá e iria sozinha para Portsmouth se não chegássemos a tempo!

Entramos no sexto vagão, e ali estava a comissária de bordo, vendendo guloseimas… espera…. espera… espera… até ela terminar de passar pelo vagão, oferecer para todos, servir para os compraram… porque ao invés de ela vir para a frente e desbloquear o caminho que o carrinho ocupava (coisa que seria muito mais rápida, já que ela estava no começo desse vagão), ela continuou seu trabalho tranquilamente, indo para trás. Nessa hora já estávamos pensando em sair, caso o trem parasse, e correr por fora para alcançar o vagão correto.

Finalmente a tia da guloseima desbloqueou o corredor, e pudemos passar, alcançando o quinto vagão. O trem estava diminuindo a velocidade. Mais cabeças atingidas pelas malas, mais olhares feios para a gente, mais suor escorrendo. Foi os 50 metros com obstáculos mais difíceis que já fizemos. No último segundo, conseguimos alcançar o quarto vagão, e o trem parou. A vontade foi de berrar de alegria.

Tremendo pelo susto e morrendo de cansados, conseguimos nos acomodar nos lugares (meia boca) que sobraram do vagão. Jogamos as malas em qualquer canto, pra depois arrumar espaço pra elas. Um casal para um lado, outro para o outro. O trem partiu novamente e continuou seu trajeto, agora com 8 vagões. Sim 8, por que não foi ali que ele se separou, nem ali, nem na próxima estação, mas cerca de quase 1 hora depois!

* Esse meu marido é um amor né gente?! E olha que foi ele que pediu pra eu contar essa história aqui no blog. Porque ele acha engraçada… o.O rs *

O importante é que chegamos juntos e com todas as bagagens no destino correto: Portsmouth. Sinta o drama aí na foto abaixo.

2 comentários sobre “Viagem de trem para principiantes

  1. Jali disse:

    KKKKKKKKKKKK muito bom relato cunha… eu senti ate o frio na barriga de novo…
    meu deus… eu tava com muito medo de ficar sozinha , imagina se o trem se separasse? eu estaria ate hoje na inglaterra, (huuumm ate que nao seria tao mal), hahhahah… Saudades e mais saudades desses momentos…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s