Falésias de Étretat

Cemitério Americano e Étretat

{15 de abril de 2012}

No nosso terceiro dia na Normandia, saímos logo cedo para visitar o Cemitério Americano, local que ficou faltando no dia anterior. Dessa vez demos sorte e pegamos o local aberto com bem poucos visitantes. – Para quem assistiu ao filme O Resgate do Soldado Ryan, é o mesmo cemitério que aparece no início e no final do filme.

A entrada no local é rigorosa, raio X, soldados americanos controlando os visitantes, enfim… Perguntei a uma das funcionárias sisudas se havia uma máquina de café ali, pois estava frio pra caramba, e ela enfaticamente me lembrou: “é claro que não, isso aqui é um cemitério!”. Antes de visitar o cemitério, propriamente dito, você passa pelo Museu do local, que já te deixa impressionado, pelas instalações, vídeos e efeitos sonoros em homenagem aos soldados mortos nas batalhas. Já é de enxer os olhos de lágrimas (se você tiver um pouco de sensibilidade…).

Após caminhar por um belo jardim, digno de um parque florestal, à beira do mar, você chega na área do cemitério mesmo. Uma gigantesca área verde e plana, com gramado aparado e milhares de cruzes brancas a perder de vista, seguindo uma distância rígida e milimetricamente calculada entre uma e outra, ora são cruzes, ora são Estrelas de Davi, para os judeus.

Acervo do museu Jardim que leva ao Cemitério Americano Visão geral do Cemitério Americano Túmulos de judeus Muro com o nome dos soldados mortos em batalha

O silêncio e a imensidão desse cemitério são impressionantes, um dos locais mais bonitos e tristes que visitamos nessa viagem. Toda as manifestações de alegria e vibração que tivemos nos locais por onde passamos até então, deram vez a um sentimento de respeito e reverência pelas jovens vidas perdidas tão brutalmente por causa da Guerra. Ali a consequência das batalhas saltam aos olhos: a morte. Você sente uma vontade imensa de orar pelas almas dessas pessoas, que deram a vida por causa de uma guerra estúpida.

Morto no dia D

Soldado desconhecido DSC_0343Memorial do Cemitério

A maioria dos túmulos tem a data de falecimento em 6 de junho de 1944. E há cruzes sem nomes, mas com os restos mortais de algum soldado “desconhecido, mas reconhecido por Deus”. Estão enterrados ali 9.387 soldados americanos.

Partindo dali, fomos em direção a Étretat. E viva o GPS, pois passando por Le Havre percebemos o quão essencial ele foi para não se perder. Le Havre fica no caminho entre Paris e Caen, é uma cidade portuária, e por isso, tem centenas de viadutos, auto estradas, pedágios e pontes, se o seu caminho passar por essa cidade, esteja preparado com o GPS.

Étretat é uma cidade litorânea ainda na Alta Normandia. Famosa por suas falésias, e por hospedar durante alguns anos, ninguém menos que Monet. Sabe aquelas fotos que você vê pela internet com um daqueles títulos “Lugares fantásticos para se conhecer”? Então, essa foi a foto que me inspirou a conhecer Étretat:

Stitched Panorama

Quando eu descobri que isso estava em nosso caminho na Normandia, eu fiz questão de colocar no roteiro, por mais complicado ou corrido que pudesse ficar, e quer saber? Valeu totalmente a pena.

Claro que no dia em que visitamos era primavera e não tinha essa neve aí não. Mas independente disso, a paisagem é incrível e inédita para nós, sul brasileiros, além do mais, com sol o local fica ainda mais lindo. A cidadezinha fica numa parte que tem acesso a uma pequena praia de seixos redondos, e em ambos os lados as falésias se extendem por quilômetros. Entretanto, a parte mais bonita da falésia, que forma essa espécie de tromba de elefante até a água, fica do lado esquerdo da praia, mas subir para o lado direito, te privilegia com uma vista ainda mais bonita dessa formação rochosa.

Falésias de Étretatlado esquerdolado direitoPanorâmica da cidade Vista sobre as colinas do lado direito da praiaQue areia branquinha?! o negócio aqui é pedra.

Tem que ter perna e tem que ter fôlego para subir os dois lados na mesma tarde, e mais ainda se atravessar a praia pelas pedrinhas… ainda mais com uma certa pressa que estávamos, mas a vista é compensadora, eu faria tudo de novo. Se o seu estilo de viagem é mais relacionado à natureza, Étretat é um daqueles lugares naturais lindos de se ver e de se perder pelo menos algumas horas. No dia em que fomos, era domingo de sol, e achamos curioso ver tantos jovens deitados nos gramados das colinas, conversando e passeando, como se ali fosse um parque. Outra curiosidade é o campo de golf do lado da falésia principal… privilégio para poucos.

Monet Tentei tirar a foto do mesmo ângulo que a foto que me inspirou.. não deu muito certo. DSC_0492 Outras visões das falésias

Nosso destino saindo dali foi Rouen, onde passamos a noite e muito frio.

Um comentário sobre “Cemitério Americano e Étretat

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s