Ushuaia

Bateu nostalgia. Marido mandou hoje um vídeo de Ushuaia que me encheu de saudades e entusiasmo. Muita gente conhece Bariloche, poucos conhecem Ushuaia. Não fica assim “do lado” mas é muito mais perto do que os Estados Unidos, por exemplo. E olha quão maravilhosa é essa cidade Argentina, em qualquer estação do ano. Já estivemos lá em 2008 (veja esses posts aqui), foi na primavera, mas faço questão de voltar lá qualquer hora dessas.

Saudades da Patagônia

Na semana passada estive compartilhando as fotos e algumas histórias da nossa viagem de 2008 com uma amiga. E confesso que me bateu muita saudades daquele mês que estivemos numa das regiões mais lindas do planeta.

Certa vez, num programa de TV com mochileiros e viajantes, a pergunta feita a eles era: “Qual foi a sua viagem mais marcante?” e a maioria absoluta disse: Patagônia. Eu na época mal sabia onde ficava a região. E hoje eu entendo muito bem o que eles queriam dizer.

Pra matar um pouco da minha saudade, ou pra reviver um pouco do sentimento do que é estar lá, fui atrás de algum timelapse. E encontrei vários, mas acho que esses três são os mais bonitos.

Pra quem quiser curtir comigo, sugiro abaixar o volume dos vídeos e ouvir com uma dessas duas músicas abaixo, que na minha opinião, combinam melhor.

abaixe o som desse vídeo e dá o play nessa música aqui, antes de dar o play no vídeo:

http://www.goear.com/listen/7d2c9bc/the-frozen-world-emilie-simon


Valeu o investimento.

Conforme citei no post abaixo, que falava sobre a importância e utilidade dos guias de viagem, relato esse fato que nos aconteceu na viagem para a Patagônia.

Uma vez, na Argentina, graças a um guia como esses, conseguimos achar um hotel às 5 da manhã. Cidade deserta, acabávamos de chegar de uma viagem de 8 horas de Puerto Madry a Comodoro Rivadávia, estávamos na rodoviária, que àquela hora da manhã servia de refúgio contra o frio para moradores de ruas e um pessoal bastante suspeito. Não esperávamos chegar tão cedo àquela cidade, por isso nem havíamos planejado hotel ou coisa assim, era só uma cidade de passagem, de onde pegaríamos um voo para Ushuaia, que só partiria às 13h30 da tarde. E pra piorar, havíamos tomado Dramin para dormir na viagem, ou seja, chegamos nessa rodoviária parecendo zumbis. Perguntamos para uma moça de um dos poucos guichês abertos onde havia um hotel meio barato por perto. Ela sem muito rodeios avisou que perto dali só havia uns poucos hotéis baratos a algumas quadras, mas que ela não recomendava, uma por causa da infraestrutura do hotel, outra por causa do trajeto nem um pouco seguro até lá, que teria que ser feito a pé. Sem esperanças, sem saber o que fazer, sentamos em duas poltronas vagas onde nenhum transeunte estava dormindo, cercados de mochilas e pensamos: “e agora? Onde ficaremos até à 1h30 da tarde?”. Minutos de silêncio e veio a luz: “O guia!” Procuramos rapidinho e encontramos um hotel muito bom (do nível caro para um mochileiro), mas para nós, aquela hora, era a melhor pedida.

Fomos até a rua, mais pessoal suspeito por ali, nos dirigimos até um taxi, no qual um taxista gordo dormia sossegado e roncava. Batemos no vidro e ele acordou, perguntamos do hotel e ele apontou, “fica ali”. Olhamos para “ali” e não vimos nada além de um edifício comercial. Caminhamos até “ali” e continuamos a não ver hotel nenhum, somente um grupo de mais umas sete pessoas suspeitas (essa hora todo mundo andando em grupo é suspeito) e resolvemos voltar rapidinho até a rodoviária. Pra nossa sorte, um taxi acabava de chegar para deixar alguém ali, a motorista era uma mulher, pedimos para ela onde ficava o hotel, e ela nos ofereceu condução, apesar de concordar que era super perto. O taxi deu a volta na quadra, praticamente no sentido oposto da mesma se encontrava o hotel, realmente poderíamos ter ido a pé e economizado 10 pesos, mas como iríamos adivinhar? O hotel custou dolorosos 260 pesos, para um quarto pequeníssimo com 2 camas de solteiro, banheiro no quarto e check out às 10 da manhã. Mas confesso, foi uma das melhores noites de sono que eu tive durante a viagem, tivemos até café da manhã (rs). A sensação de deitar a cabeça no travesseiro e poder relaxar depois de uma situação de tensão como essas, foi a melhor coisa.

Hostel em Buenos Aires



Durante nossa estadia em Buenos Aires, ficamos no Hostel Tango Suite. Muito bom o hostel, pegamos quarto matrimonial, com banho privado. Tinha calefação, roupa de cama e de banho inclusas, e um café da manhã gostosinho. Fomos muito bem atendidos. O único incoveniente foi o barulho durante a noite, não tinha “hora de respeito aos outros hóspedes”. Na nossa última noite foi péssimo dormir por causa da barulheira.

Mas a localização é ótima!

Bariloche
















Bariloche é uma cidade muito bonita. À beira do lago Nahuel Huapi, a visao que se tinha do lago com a cordilheira ao redor é realmente linda.
É uma cidade bem voltada para o turismo, principalmente para o Esqui. Tá cheio de turistas adolescentes, às pencas, aos baldes, por todos os lados!!! E ao contrário do que eu imaginava nao parecia uma vila tal como El Calafate, e sim uma cidade, com Shopping e tudo… rs

Fizemos trekking na neve (com uma espécie de raquete nos pés) e patinamos no gelo.

Maravilhoso Perito Moreno 2





Uma das visoes mais impressionantes da nossa viagem: o Glaciar Perito Moreno.
Realmente é tao incrível como esperávamos. A poucos metros de distância de nós.

As cores, os ruídos como de trovao e a imensidao desse bloco de gelo que se move cerca de 1m por dia, nos deixou emocionados.

Nao existe nenhum outro glaciar na américa do sul que se possa chegar tao próximo.

Pra completar o dia, esses simpáticos passarinhos pousavam a centímetros de distância da gente, o que proporcionou fotos lindas.


El Calafate, a cidade.

Na boa, a cidade de El Calafate é bonitinha e tal (quando se está na rua principal)… mas se você sair pra uma rua lateral, já se decepciona… a cidade é bem pobre e feinha.
Além disso, os preços turísticos de qualquer coisa q se queira (ou precise) comprar lá, sao bem decepcionantes também. Uma das cidade mais caras pelas quais passamos.

Coisas bonitas e interessantes em El Calafate: 1. o Hostel em que ficamos (foto acima);

2. Casas com jeitinho de casa de montanha, para as lojas e escritórios, na rua principal;


3. Cachorros enooooooormes como esse da foto com o Caio, andando soltos e em paz na rua;


e 4. O restaurante acima.