Le célèbre Mont Saint-Michel

{13 de abril de 2012}

Já cansados de tanta caminhada, mas ainda dispostos a conhecer um dos lugares mais visitados da França, além de Paris, seguimos para o Mont Saint-Michel. E finalmente vi ao vivo aquela ilha incrivelmente bela pela qual tanto ansiava. Como essa região é bastante plana, a ilha montanhosa se vê ao longe. E ao contrário do que se vê na maioria dos posters e materiais turísticos, ela não está totalmente cercada de água. Não sei se foi a época do ano, algum outro efeito climático, ou simplesmente, falta de água, mas a maré não subiu a ponto de alagar o estacionamento, como li em diversos lugares. E olha que ficamos lá durante um bom tempo, inclusive no horário da suposta maré.

Mt. Saint-Michel é um lugar imperdível para se conhecer. Vê-la de fora é mais interessante que lá dentro, que é apinhado de turistas e lojas de souvenir. Ainda assim, dá pra perder horas andando na vilazinha da ilhota, cujas casas tem centenas de anos e mantém o estilo medieval. O ponto culminante é a igreja e o monastério, que dessa vez abrimos mão. Pelo horário da nossa visita, achamos que não valeria a pena o investimento. Fora o monastério, andamos por cada passagem da ilhota e acho que conseguimos ver tudo que tinha por lá, inclusive alguns gatos e algumas excursões de turistas pelo terreno alagadiço, com as pernas sujas até o joelho (quem faz?).

Sobre o Mont Saint-Michel, aí vai um pouquinho da história do lugar, via wikipédia:

Crê-se que a história da abadia do monte Saint-Michel remonte a 708, quando Aubert, bispo de Avranches, mandou construir no monte Tombe um santuário em honra a São Miguel Arcanjo (Saint-Michel). No século X os monges beneditinos instalaram-se na abadia e uma pequena vila foi-se formando aos seus pés. Durante a Guerra dos Cem Anos, entre França e Inglaterra, o Monte Saint-Michel foi uma fortaleza inexpugnável, resistindo a todas as tentativas inglesas de tomá-la e constituindo-se, assim, em símbolo da identidade nacional francesa. Após a dissolução da ordens religiosas ditadas pela Revolução Francesa de 1789 até 1863 o Monte foi utilizado como prisão. Declarado monumento histórico em 1987, o sítio figura desde 1979 na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO.

Saímos de lá quando as lojas já estavam quase todas fechadas, depois das 18 horas, e pensamos em voltar mais tarde para ver o Monte a noite. Estávamos exaustos e famintos, passamos primeiro num mercadinho para comprar umas coisas e fazer uma noite de queijos e vinhos, dali partimos para nosso B&B, Au Bon Accueil. O B&B foi uma das melhores opções de hospedagem da viagem, atendidos pelos acolhedor casal de ingleses Paul e Jane, que nos receberam com café e chá inglês, ótimas indicações de passeios para o dia seguinte e um caloroso quadro escrito a giz nos dando as boas vindas e com a seguinte frase: “Here you find no strangers, meet friends you didn’t know yet.” – “Aqui você não encontra estranhos, encontra amigos que você ainda não conhecia.”

Antes do nosso jantar de queijos e vinhos, acompanhado do planejamento para o dia seguinte (o Dia D) – que aliás, foi muito bem assessorado pela Jane e pelo Paul, – resolvemos dar uma voltinha a pé pelos arredores do nosso B&B, um lugarejo bucólico e com cheirinho de fogão a lenha no ar. É um desses lugares que você se sente acolhido, ao mesmo tempo que sente estar numa terra estranha. O sol estava se pondo no horizonte, e havia aquela neblina típica de fim de tarde no inverno litorâneo. Lá bem longe, ainda se avistava a ilhota histórica de forma cônica que acabávamos de visitar. Foi um lindo fim de dia para celebrar nosso primeiro dia no interior da França.

*-*

Gauleses, Normandos e outros povos do passado

Esses dois aí de cima são o Asterix e o Obelix (aliás, o Obelix está segurando o mascote Ideafix), como a maioria deve saber. Esses personagens tão famosos das histórias em quadrinhos são guerreiros gauleses, cujas histórias se passam por volta do ano 50 a.C. Eles moram numa aldeia situada na península Armórica, ao norte da antiga Gália.

Gália, é o termo antigo usado para designar o atual território francês e Armórica é a região que constitui a atual península Bretanha. A Bretanha fica no noroeste da França, banhada pelo Canal da Mancha e o Oceano Atlântico. Uma das cidades dessa região banhadas pelo Canal da Mancha, é Saint-MaloSaint-Malo é uma comuna francesa na região da Bretanha, é quase divisa com a região da Normandia.

Normandia também fica no noroeste da França, colonizada pelos Normandos, é uma região conhecida pela II Guerra Mundial, a Batalha do Dia D, pelo queijo Camembert e pelos lindos castelos e cidades medievais, campos e falésias.

E aí você se pergunta: “Tá, e daí?”. E então eu te respondo: Saint Malo é a nossa porta de entrada para a Normandia, nosso destino de viagem em 2012. Sim, vamos para o tão lindo e almejado interior da França, onde maravam Asterix e Obelix.

Mas nem só isso, vamos começar por Londres, Stonehenge, e depois passamos pela Bélgica, em duas cidades e fechamos com a nossa querida Cidade Luz, que sempre vale a pena visitar.

A viagem desse ano será mais curta, só 15 dias. Mas será em dobro, com meu irmão e minha cunhada para nos fazer companhia.

Portanto, esteja de olho nos próximos posts, porque a aventura vai recomeçar.

 

Pin It
<script type="text/javascript"