Em território francês, começando pela Bretanha – St. Malo

{13 de abril de 2012}

Nossa viagem de 7 dias pela França começou em St. Malo no dia 13 de abril, e continuou pelas cidades de Dinan e Mont Saint-Michel nesse mesmo dia.

Foi uma verdadeira viagem a idade medieval. O porto onde desembarcamos do Ferry era em St. Malo. Ali também pegaríamos o carro que alugamos. O carro também foi outra grande boa surpresa. Pela reserva, iríamos pegar um Renault Laguna ou similar. Um sedan, intermediário, econômico e grande o suficiente para nossa bagagem. Mas quando recebemos a chave se tratava de um Opel Insignia – um carro com características de carro de luxo, mas com preço razoável (menos no Brasil). Conforto garantido em toda a nossa viagem.

St. Malo teve sua origem monástica, por volta do séc. 6, e daí o originou a Ville Intra-Muros, como é conhecida a parte histórica e turística da cidade. Ficou conhecida como a casa dos corsários e piratas, que não só cobravam tributos de navios britanicos que navegassem pelo Canal, como também navegaram para outras regiões do globo, pilhando suas riquezas, como o Canadá e as Ilhas Falklands (conhecidas também como Ilhas Malvinas).

Depois de pegarmos o carro e fazermos um brunch, fomos conhecer a parte histórica de St. Malo. Uma cidade fortificada na região da Bretanha, cujos muros formam um lindo limitador entre o mar e o continente. A cidade é quase toda formada por ruelas estreitas e prédios construídos com granito cinza, de até 6 andares, com seus telhados de ardósia cobertos de musgos dourados e mansardas. A arquitetura lembra bastante a de paris, mas é tudo mais cor de pedra, marrom, cinza, que contrasta com a linda cor do mar logo em frente. Muitas lojinhas de souvenirs e cafés tomam conta da cidade, assim como restaurantes cuja especialidade é frutos do mar. Pelo tempo disponível, não nos aventuramos muito pelo interior da cidade, ao contrário, preferimos suas muralhas largas e seu pier: cujas vistas são maravilhosamente únicas. Uma das coisas que me chamou a atenção foi a transparência da água do mar, tendo em vista que se trata de uma região portuária.

St. Malo é uma cidade bela e com características únicas que valem a pena uma visita. Se o tempo for curto, não há necessidade de dormir no local, já que algumas horas pela cidade já rendem uma ótima visita.

*-*

Nosso mini cruzeiro na Europa

{12 de abril de 2012}

No nosso planejamento de viagem, chegamos a conclusão que seria mais rápido e inteligente descer de Londres para a Normandia através do Canal da Mancha indo direto para a Normandia. Ao contrário da nossa ideia inicial, que era ir até Paris pelo Eurotúnel e de lá alugar um carro para ir até Mont Saint-Michel, para depois voltar, visitando várias cidadezinhas pelo caminho, inclusive as praias do Dia D. Meu marido descobriu genialmente um ferryboat que fazia o trajeto Portsmouth (RU) – St Malo, na Bretanha (FR). E a viagem seria noturna, com duração de 12 horas (uau!). Topamos a aventura e reservamos as passagens.

Saímos de Londres no dia 12 de abril com destino a Portsmouth, uma cidade portuária com localização estratégica (inclusive militar) no sul do Reino Unido. – De lá partiram algumas tropas aliadas canadenses no Dia D. A viagem de trem até a cidade nos revelou algumas surpresas pelo caminho (para os que ficaram acordados), como castelos medievais fantásticos, coelhos margeando a ferrovia, criação de pôneis e até um cervo selvagem (morri!). Portsmouth pareceu muito bonita, mas infelizmente estava chovendo muito, o que dificultou qualquer passeio pela cidade. Vimos depois, do navio, algumas caravelas históricas originais e incríveis, que nos arrependemos por não ter visto. Fomos direto ao terminal portuário do Ferry e aí teve início uma sucessão de boas surpresas. A começar pelo próprio terminal, com sala de espera, balcão do check in, restaurante e instalações melhores que muitos aeroportos no Brasil. Tudo limpinho, clarinho, quentinho (pra variar, estava também muito frio).

Depois de algumas horas de espera – não que tenha atrasado, nós é que chegamos super cedo. – Esperávamos uma embarcação modesta e não muito diferente do que encontramos por aqui, na travessia da Vila da Glória, em São Francisco do Sul, por exemplo, ou a balsa Rio-Niterói, sei lá, e estávamos muito apreensivos de passar a noite ali. Pra falar a verdade, para mim, era a maior preocupação da viagem. Mas quando vimos o nível do ferry que atracou no porto, demos pulinhos de euforia (momento piração!).

Para se ter uma idéia, segundo o Google + Wikipedia + Travessia de São Luís (MA), – não fui eu que disse, pois nem o conheço – o maior ferry boat do Brasil mede 74,4m de comprimento, tem lugar para 1.200 pessoas, sentadas e em pé e 100 veículos de passeio. Esse ferry franco-inglês, tem modestos 151 metros de comprimento, capacidade para 2.056 passageiros acomodados (sentados ou deitados) + a tripulação, de 130 pessoas, e 580 carros, ônibus e caminhões.

Após passar pelo raio X e pegar um microônibus que nos levou até a doca, subir com esteiras rolantes e adentrarmos ao navio, fomos encaminhados à nossa cabine, que estava equipada com calefação, 2 beliches, tomadas e banheiro com chuveiro (momento piração 2!). Saímos e resolvemos explorar o nosso navio (desculpem aí os que já fizeram cruzeiros, vocês devem estar achando isso um verdadeiro exagero, mas nós nuuuunca viajamos de navio antes, foi nossa primeira experiência, e foi uma grande surpresa, afinal, não esperávamos um navio desses!). O ferry tinha 9 andares, 2 restaurantes, 1 sala de jogos, 1 sala de jogos para crianças, 1 cassino, cinema, várias lojas, free shop, bares – 1 deles com mini shows, caixas eletrônicos, etc. Tinha cabines equipadas com camas e janela, como a nossa, cabines sem janela, além de salas enormes com poltronas reclináveis para aqueles passageiros que não queriam cabines (low cost), os quais contavam também com banheiros e chuveiros à sua disposição (momento piração 3!).

Fomos até os decks externos e aproveitamos um pouco do pôr do sol lindo que brindou o dia (momento piração 4!). Andamos em todos os lugares possíveis para os passageiros e, pontualmente, na hora marcada, nosso ferry começou a sair do porto. O vento gelado da noite e da velocidade do navio no canal não conseguiu nos fazer desistir de vislumbrar a maravilhosa vista da cidade de Portsmouth que tínhamos a frente. Foi um momento muito agradável e memorável para todos nós.

Procuramos um restaurante para jantar e encontramos um brasileiro que mora em Portugal e é motorista de caminhão entre a Inglaterra e a Espanha. Conversamos durante um longo tempo com ele e só então fomos jantar, num restaurante que ficava na proa. Eu e minha cunhada não nos abalamos, mas os homens não aguentaram o balanço e se sentiram enjoados, saindo o mais rápido possível de lá.

Antes de dormir, demos uma última passada no deck da popa, a cidade já estava fora de vista, e a escuridão tomava conta do horizonte. O vento estava mais gelado ainda. Pensei na minha vó nesse momento. E ao tentar me aproximar um pouco da beirada, olhando aquela água que devia estar incrivelmente gelada, pensei no Titanic (momento pânico!). Voltei pra cabine sozinha, deixando meu irmão e minha cunhada lá fora.

Quanto a dormir, por ironia, eu e Jali dormimos muito mal, por causa do balanço do navio. Enquanto Caio e Evandro dormiram como dois bebês no balanço do berço.

Com o amanhecer do dia, acordamos ao sons dos avisos de chegada ao destino: St. Malo, território Francês.

Gauleses, Normandos e outros povos do passado

Esses dois aí de cima são o Asterix e o Obelix (aliás, o Obelix está segurando o mascote Ideafix), como a maioria deve saber. Esses personagens tão famosos das histórias em quadrinhos são guerreiros gauleses, cujas histórias se passam por volta do ano 50 a.C. Eles moram numa aldeia situada na península Armórica, ao norte da antiga Gália.

Gália, é o termo antigo usado para designar o atual território francês e Armórica é a região que constitui a atual península Bretanha. A Bretanha fica no noroeste da França, banhada pelo Canal da Mancha e o Oceano Atlântico. Uma das cidades dessa região banhadas pelo Canal da Mancha, é Saint-MaloSaint-Malo é uma comuna francesa na região da Bretanha, é quase divisa com a região da Normandia.

Normandia também fica no noroeste da França, colonizada pelos Normandos, é uma região conhecida pela II Guerra Mundial, a Batalha do Dia D, pelo queijo Camembert e pelos lindos castelos e cidades medievais, campos e falésias.

E aí você se pergunta: “Tá, e daí?”. E então eu te respondo: Saint Malo é a nossa porta de entrada para a Normandia, nosso destino de viagem em 2012. Sim, vamos para o tão lindo e almejado interior da França, onde maravam Asterix e Obelix.

Mas nem só isso, vamos começar por Londres, Stonehenge, e depois passamos pela Bélgica, em duas cidades e fechamos com a nossa querida Cidade Luz, que sempre vale a pena visitar.

A viagem desse ano será mais curta, só 15 dias. Mas será em dobro, com meu irmão e minha cunhada para nos fazer companhia.

Portanto, esteja de olho nos próximos posts, porque a aventura vai recomeçar.

 

Pin It
<script type="text/javascript"