Hola Montevideo

No domingo, saímos pela manhã para o aeroporto de Guarulhos. Após me espantar com os preços das almofadinhas de pescoço à venda nas lojas da área internacional, tomei um café da manhã por lá enquanto aguardamos nosso vôo para Montevidéu. Gael estava muito entusiasmado e inquieto.

O Vôo foi relativamente rápido, 2h40 minutos. Na chegada já nos surpreendemos com o belo aeroporto de Montevidéu, com sua arquitetura em forma de concha. Com uma dica que pegamos com amigos, logo providenciamos alguns pesos e dois chips de dados para os nossos celulares, o qual foram super em conta e a compra/ativação bem rápida, mas no meu caso levou mais tempo do que eu previa, pois não me liguei de levar a chavezinha do celular para trocar o chip.

O motorista do Uber que nos levou até o hotel já fez um micro tour pelas ramblas (que são as avenidas beira rio deles), desde o bairro de Carrasco, até o bairro Pocitos, foi muito simpático, apresentou coisas interessantes sobre o caminho onde passávamos e deu algumas dicas, além de se oferecer para nos levar até a feira de Tristán Narvaja, que estava na eminência de terminar e que seria nossa primeira visita na cidade.

Após o check in no hotel (que recomendamos muito!), fomos com o motorista do uber até a feira, uma das mais famosas da capital Uruguaia. A feira só funciona aos domingos, com início às 7h e encerramento às 15h. Devia ser por volta de 14h quando chegamos. Apesar de já saber o estilo de artigos que encontraríamos, foi interessante ver a variedade de produtos que eles vendem por lá, sem setorizar nada, uma barraca atrás da outra vendendo artigos totalmente diferentes entre si, como sapatos de couro, brinquedos chineses, legumes, artigos típicos, roupas, queijos e salames, plantas, animais, doces, quinquilharias e por aí vai. Mais adiante começa a parte que me interessava, algo como um mercado de pulgas. Garimpar! adoro! Tinha muita coisa legal e bizarra. Os preços até que eram acessíveis. Infelizmente não durou muito tempo pois os comerciantes já começavam a recolher seus artigos para encerrar a feira.

O clima estava frio, mas tinha sol e céu azul. Para fazer um passeio mais tranquilo no primeiro dia, decidimos ir até as ramblas e visitar o letreiro de Montevidéu. No trajeto, Gael acabou adormecendo, e ao chegar lá procuramos um local na grama mesmo, para aproveitar o fim de tarde, o sol e a vista, enquanto o pequeno dormia no nosso colo. Como era domingo, tinha muita gente por ali, aproveitando o dia de lazer, uns jogando futebol, outros brincando com cachorros, várias crianças se deliciando com seus brinquedos novos (era dia das crianças no país), muito cheiro de maconha no ar, e quase todos bebendo mate.

Ficamos um bom tempo por ali, até o pequeno acordar espontaneamente. Tentamos tirar fotos no letreiro, mas era impossível pegá-lo vazio. Gael acordou de mau humor e não estava nem um pouco afim de fotos. Saímos caminhando pelas ramblas e encontramos o Museu Naval de Montevideo, que acabava de fechar. Ainda assim, havia um parquinho na área externa, para crianças, que permaneceu aberto. Foi a vez do pequeno se divertir.

Com o sol começando a se pôr, decidimos encontrar o shopping Montevideo, que ficava a algumas quadras de caminhada dali. Ali, finalmente consegui colocar o meu chip uruguaio no telefone. Além de encontrarmos o Tienda Inglesa, nosso supermercado na cidade, onde encontramos tudo o que precisávamos. – Alugamos um quarto com cozinha completa, para que pudéssemos fazer os jantares em casa, em família e tranquilamente.

Nosso hotel ficava bem próximo dali. E para o Gael foram experiências a mais brincar na banheira do hotel, com sua cortina no lugar do box, e começar a assistir seus desenhos favoritos em espanhol.

Anúncios

Férias 2017 – Etapa 1

{19 de agosto de 2017}

E aqui começa nossa tão esperada e planejada viagem internacional após o nascimento do Gael. O destino escolhido foi a América Latina, por questão de tempo de vôo e valores. A neve foi nosso principal objetivo, pois já fazia algum tempo que o pequeno vinha falando em brincar na neve (provavelmente culpa da Peppa, Anna, Elza e Jack Frost). Decidimos também criar um roteiro onde as distâncias de viagem não fossem tão longas a ponto de esgotar as nossas paciências, principalmente a da criança, que é muito mais complicada de entender as demoras, se manter tranquila e “silenciosa”.

IMG_20170818_081708241

Entre Vale Nevado, no Chile, e Bariloche (AR), optamos pelo segundo, pela variedade de opções que teríamos, em relação à estadia e passeios. Depois de uma semana de muita ansiedade, por parte do pequeno – quando eu tive até que desenhar um quadro com agenda diária, para acalmar os ânimos, – embarcamos na nossa viagem para a Neve, e nosso primeiro destino foi São Paulo. Sim, pois o nosso voo para Montevidéu saia de lá. E como queríamos deixar a parte de aeroporto e viagens o menos estressante possível, optamos por passar um dia em São Paulo antes de pegar a conexão, no dia seguinte pela manhã.

IMG_20170816_172141935

Nos hospedamos no Novo Hotel na zona norte, que ficava relativamente próximo ao Aeroporto de Guarulhos. O quarto do hotel era ótimo e espaçoso, banheiro enorme, Gael até ganhou um bichinho de pelúcia no check in. Infelizmente o dia estava nublado e chuvoso. Almoçamos num Shopping que havia ao lado do hotel e pegamos um Uber para ir até o Museu Catavento passar a tarde.

O Museu é muito legal, divertido e interessante. Várias instalações interativas. Nós gostamos muito! Percebemos que algumas das atrações são para crianças um pouco maiores (7 anos em diante), ainda assim o Gael se divertiu com várias delas, mesmo sem entender o sentido daquilo.

O museu é dividido em quatro seções: Universo, Vida, Engenho e Sociedade, espalhadas nos 3 andares. Aos sábados o ingresso é gratuito. Tem algumas atrações extras no Catavento, que geralmente têm fila, precisa pegar senha, pois são gratuítas. Preferimos não pegar nenhuma, embora tivesse uma do Lego que eu acho que seria bacana para ele. As atrações tem horários para acontecer e público limitado. Acho que são bem legais, mas para uma segunda visita.

IMG_20170819_151127940_TOPIMG_20170819_145437452IMG_20170819_143400190_TOPIMG_20170819_141710740IMG_20170819_140843117IMG_20170819_154831179_HDR

As partes mais divertidas da exposição permanente foram as bolhas gigantes….

IMG_20170819_145803687

E o quarto de espelhos.

2017-08-19 15.19.45

E teve momentos de puro cansaço também…

IMG_20170819_155109827

O Museu é grande e tudo acaba levando tempo se você for curtir cada instalação. No fim do dia bateu aquela fominha e como o local fecha as 17h, os cafés que funcionam lá dentro já estavam fechados – embora ainda desse para concluir a visitação se você estivesse lá dentro – mas infelizmente não encontrei nenhum restaurante do lado de fora. E a região central não é das mais propícias para ficar caminhando em busca de um café bacana para fazer um lanche.

Na parte externa fica livre para visitação também, e esse é um bom momento para visitar os meios de transporte que tem pelos jardins: Locomotivas, vagões, carruagens, aviões… é bem legal e os pequenos se divertem muito!

IMG_20170819_1642211152017-08-19 16.55.06

É também aquele momento para apreciar a fachada do Museu, que é simplesmente linda!! O prédio é uma edificação histórica onde funcionava o Palácio das Indústrias, cujo intuito era abrigar exposições relacionadas à Indústria Paulista. Sua construção se iniciou em 1911, mas só foi inaugurado em 1924. Abrigou exposições até o ano de 1947, quando foi transformado em Assembleia Legislativa. Entre 1947 e 1968, o edifício serviu de palco para atividades políticas. Na década de 70, abrigou celas para presos comuns, quando foi sede da Secretaria de Segurança Pública. Entre 1992 a 2004, serviu de sede para a Prefeitura da Cidade de São Paulo e desde 2009 abriga o Museu Catavento Cultural.

IMG_20170819_164153694IMG_20170819_1707543932017-08-19 15.41.56IMG_20170819_171009944_TOP

Para voltar pra casa/hotel, novamente o Uber fez a frente. E o pequeno não demorou nada para adormecer no carro. No hotel, aquele descanso com fim de anoitecer chuvoso e mais uma visita ao shopping para jantar encerraram nosso primeiro dia de férias.

O dia seguinte foi o dia que seguimos para Montevidéu, e para o restante da viagem, os dias mais interessantes e cheios de ótimas lembranças.

PS.: Nessa nossa viagem usamos muito o Uber, e é engraçado perceber como há diferentes tipos de pessoas com diferentes gostos trabalhando como motoristas. Nossos motoristas em São Paulo ouviram: 1. Rock pop; 2. Sertanejo; 3. Gospel; 4. Clássica. Era sempre uma experiência sonora diferente.